Veja como são calculadas as notas da prova do Enem

Criado em 1998 com o objetivo de avaliar o conhecimento dos estudantes concluintes do ensino médio, o Enem hoje também tem como finalidade o ingresso em universidades públicas ou privadas por meio de programas do governo federal.

Mesmo reformulado em 2009, ele ainda avalia o desempenho dos candidatos por meio das notas em suas quatro áreas de conhecimento. A prova é composta de 180 questões objetivas, dividida por 45 para cada área, além de uma redação dissertativa-argumentativa.

Os resultados individuais de desempenho só são divulgados meses após as provas, mas o gabarito Enem 2016 do exame é liberado pelo Inep, responsável do concurso, em até três dias após aplicação da prova, o que garante uma noção de como o candidato se saiu.

Notas da Prova do Enem

Muitas dúvidas surgem quando o assunto é o cálculo feito pelo Inep para distribuir o desempenho individual. Mas, como é feito esse cálculo? Veja abaixo!

Posso calcular as notas?

Infelizmente, apenas o Inep detém e realiza o cálculo. Mas é possível saber como elas são mensuradas no sistema avaliativo conhecido como Teoria de Respostas ao Item (TRI), considerada uma metodologia bastante avançada para medir o conhecimento dos estudantes e seu comportamento durante as provas.

Como o sistema TRI funciona?

Através do sistema, os candidatos do Enem são avaliados pelos parâmetros de cada um dos itens e pelo padrão das respostas. O TRI não avalia apenas a quantidade de acertos em cada uma das quatro áreas do exame.

Basicamente esse sistema trabalha com uma porcentagem simples. Quanto mais candidatos acertarem uma questão, menor é o peso da pontuação dada a ela, é como se essa questão fosse considerada mais fácil pelo sistema já que um grande número de candidatos conseguiu resolvê-la. Se acontecer o contrário, a questão tem um peso mais elevado.

Entretanto, se o estudante acertar poucas questões consideradas difíceis, a TRI entende que o candidato “chutou” e passa a atribuir uma pontuação menor a aquela pergunta.

É um cálculo complexo, e por isso é impossível que os participantes consigam calcular suas notas Enem, porque não há como saber quais as perguntas foram consideradas difíceis ou fáceis.

O TRI também é capaz de explicar casos em que um estudante que acertou menos questões na prova em geral, obtém uma pontuação maior que aqueles que tiveram mais acertos. É por conta da pontuação das perguntas, como explicado acima.

Como são medidos os resultados do Enem?

Ao contrário dos vestibulares tradicionais, em que o resultado é medido pela soma das notas obtidas em todas as provas, o Enem não costuma aplicar essa regra.

Não existe resultados e aprovados, e os alunos só têm acesso as médias obtidas nas quatro avaliações, cujo o cálculo é efetuado pelo sistema TRI, sem haver a somo para definição de uma média.

Existem notas mínimas e máximas?

No geral, programas como o Universidade para Todos (ProUni) e o Fies cobram uma média igual ou acima de 450 pontos para cada área de conhecimento e a redação, mas não existe uma regra já que os valores são obtidos conforme as características de itens de cada edição do exame Enem.

Por exemplo, em 2014 a menor nota foi de 306,2 ponto para a prova de Linguagem, códigos e suas tecnologias e a maior foi de 973,6 para Matemática.

Mas como saber se o desempenho foi bom? Como já dito, as universidades e os programas do Governo Federal recomendam uma nota igual ou maior de 450 para cada área. Se a sua pontuação se enquadra nesse valor, seu desempenho está bom.

Além disso, os candidatos que prestam o Enem como meio de conseguir uma certificação de conclusão do ensino médio precisam atingir estes 450 pontos nas provas e 500 ou mais na redação. Fora ter mais de 18 anos completos até o dia da prova do Enem.